Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tangas Lésbicas

lésbicas de tanga na tanga - em busca do seu passo doble perfeito - desfiando as linhas que cosem as tangas - que nos devolvem envolvem - pingas que tingem a linha da tanga - todas as tangas são iguais - mas estas são as melhores - tangas lésbicas

Tangas Lésbicas

lésbicas de tanga na tanga - em busca do seu passo doble perfeito - desfiando as linhas que cosem as tangas - que nos devolvem envolvem - pingas que tingem a linha da tanga - todas as tangas são iguais - mas estas são as melhores - tangas lésbicas

percepção extra-sensorial - PES...

PES1.gif

A PES, ou a Percepção Extra-Sensorial, é o grande segredo da comunicação entre as lésbicas. É um segredo fantástico, guardado até agora com muitas outras bugigangas no fundo do armário. Mas acho que chegou a altura de pôr a nu este fenómeno de extraordinários resultados na vida de todos os dias de qualquer lésbica que se preze. E olhem que começa cedo, assim que damos os primeiros passinhos e começamos a autonomizar-nos em relação à locomoção supercisionada pela mamã e pelo papá. É que até essa altura não temos outro remédio senão deixar-nos orientar pelo ultra-protector discernimento dos nossos progenitores e torna-se impossível para nós exercer em pleno a PES.
Eis senão quando surge a tão ansiada liberdade de movimentos e passa a ser possível gatinhar ou correr à desfilada para os braços da melhor amiga da mamã, aquela que está sempre lá em casa e que tem aquele olhar meigo e compreensivo e que é capaz de antecipar os nossos mais pequenos anseios (além dos da mamã, claro).
Tudo isto de deve à PES, não duvidem. Sem ela jamais teríamos sido capazes de descobrir, em tão tenra idade, qual das amigas da mamã partilha exactamente o mesmo tipo de afectos que nós e, a partir daí, o mundo não tem limites para nós: passamos às coleguinhas de escola, às professoras, às desportistas que frequentam as mesmas aulas de ginástica, natação e vólei que nós, às mamãs das nossas amigas, a algumas irmãs, às amigas das amigas de outras amigas e por aí adiante.
Certeira e omnipresente, a PES orienta meticulosamente os nossos olhares e a nossa busca na direcção adequada, fazendo com que nunca nos escape um olhar, um gesto, uma palavra ou uma situação reveladora de outras lésbicas num considerável raio de acção à nossa volta.
Graças à eficaz PES, não nos escapam a maior parte das criaturas interessantes que se cruzam por acaso ou nem por isso na nossa vida. É, de facto, a PES que orienta e proporciona a maior parte dos nossos encontros imediatos de décimo e enésimo grau, que garante o êxito das nossas primeiras actividades exploratórias, os primeiros beijos e até as primeiras decepções.
E assim se mantêm as coisas pela vida fora, com a familiar PES sempre ao nosso lado e trabalhando incansavelmente a nosso favor no trabalho, na rua, nos bares, nas festas e até no seio da família.
Agora digam-me: quem é que nunca sentiu a influência da PES? Quem é que nunca olhou po cima do ombro e cruzou os olhos com alguém tendo a nítida precepção (extra-sensorial) de que ali estava uma alma gémea, de respectiva PES a tiracolo, aguardando o momento da revelação através de um simples olhar, sorriso ou gesto de cumplicidade?
Em suma, a PES é uma realidade incontestável e incontornável. Uma evidência já bem quém da possível negação. Quem ousaria contestar esse facto? Não nós, certamente, lesbo-PES-utilizadoras. Doa a quem doer e pese embora a total ausência de critério que caracteriza essa nossa qualidade. Sim, porque à PES tanto se lhe dá que a menina goste de magras ou gordinhas, de ricas ou pobres, de intelectuais ou desportistas, de simpáticas ou loucas varridas. Ela lança indiscriminadamente os faróis para qualquer lésbica detectável no nosso imediato raio de acção, sem medidor de consequências, como o fiscal de uma feira, para quem a venda de pechisbeque ou de legumes é perfeitamente igual, desde que se pague a licensa.
Agora, alguma de vós já teve a prova incostestável da existência da PES?

10 comentários

Comentar post