Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tangas Lésbicas

lésbicas de tanga na tanga - em busca do seu passo doble perfeito - desfiando as linhas que cosem as tangas - que nos devolvem envolvem - pingas que tingem a linha da tanga - todas as tangas são iguais - mas estas são as melhores - tangas lésbicas

Tangas Lésbicas

lésbicas de tanga na tanga - em busca do seu passo doble perfeito - desfiando as linhas que cosem as tangas - que nos devolvem envolvem - pingas que tingem a linha da tanga - todas as tangas são iguais - mas estas são as melhores - tangas lésbicas

Nós gostamos de farra!

brides.gif



Agora que o casamento hetero está em declive, derrocada, falência, apagão e sei lá que mais, vieram uns heteros a correr perguntar-me: Então agora que já ninguém quer é que vocês querem, hã?
Ia responder-lhes, a sério, mas as minhas amigas dos casamentos lésbicos disseram logo:
Além das razões dos costume, que qualquer um pode consultar nos manifestos das associações lgbt, quem vos manda, a vós, heteros, desperdiçar o bom que têm? Quem vos manda atirar pela janela o 'para sempre' e o 'primeiro amor' e 'para o bem e para o mal'? Quem vos manda deixar de acreditar?
Para nós é mais simples, porque nunca tivémos, por isso não vamos já começar a descartar, certo?
E acontece que nós gostamos de casamentos. Gostamos de festas e de celebrações, de grandes ocasiões e acontecimentos. Gostamos de coisas coloridas, alegres, simbólicas, divertidas e de bom gosto. E não perdemos nenhuma ocasião para fazer uma grande farra.
Gostamos de passar meses e meses a discutir se casamos ou não; de consultar os amigos e a família, coleccionar opiniões e decidir depois tudo sozinhas; gostamos de pedir orçamentos e negociar até ao pormenor o desenho e o texto dos cartões de visita; fazemos questão de acrescentar um toque pessoal e entregar em mão meia centena de envelopes.
Nada nos dá mais prazer que ir à cata do bolo mais bonito, convencer o pasteleiro a fazer dois bonequinhos exactamente iguais, explicar-lhe a sequência de cores do arco-íris que vai fazer com maçapão. Divertimo-nos a escolher o sítio do copo de água, não podemos viver sem os nervos que nos acometem até chegar o dia da cerimónia.
Fazemos questão de ir lindamente vestidas e vestidos e de causar sensação junto dos nossos deslumbrantes amigos; adoramos a cara mortificada das tias que acabam por chorar tanto como nós quando chega o momento do sim; desfrutamos cada segundo do cortejo de carros com as bandeirolas e as apitadelas até ao sítio do copo de água.
Deliramos com os 'ohs' de admiração dos convidados perante a decoração que escolhemos; fazemos questão de falar com toda a gente durante os aperitivos; gostamos de olhar em volta e sorrir a cada uma das caras que nos são familiares. Apreciamos a harmonia que reina entre toda a gente que é importante para nós e de ver como é fácil juntar família e amigos num grande acontecimento da nossa vida.
Gostamos de comer bem, de beber melhor, de rir e dançar até de madrugada e de acabar a festa exaustas, a beber um café e a palrar com os últimos convidados à beira-mar.
E gostamos de deitar a cabeça na almofada e de pensar que não se devem esquecer nem desvalorizar momentos tão bonitos porque, mesmo quando as coisas não duram para sempre, sabemos que fizémos tudo para as aproveitar.
Por isso queremos casar sim, não só para que entendam que somos gente de carne e osso como vocês, como para poder celebrar o amor e as boas coisas que nos acontecem na vida, exactamente como vocês o fazem.

13 comentários

Comentar post

Pág. 1/2