Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tangas Lésbicas

lésbicas de tanga na tanga - em busca do seu passo doble perfeito - desfiando as linhas que cosem as tangas - que nos devolvem envolvem - pingas que tingem a linha da tanga - todas as tangas são iguais - mas estas são as melhores - tangas lésbicas

Tangas Lésbicas

lésbicas de tanga na tanga - em busca do seu passo doble perfeito - desfiando as linhas que cosem as tangas - que nos devolvem envolvem - pingas que tingem a linha da tanga - todas as tangas são iguais - mas estas são as melhores - tangas lésbicas

uma pérola...

Uma pérola, esta notícia do ‘Correio da Manhã’:


2004-10-11 00:00:00


Cancro de mama


ETHERIDGE OPERADA DE URGÊNCIA


A veterana cantora de rock Melissa Etheridge, de 43 anos, foi operada de urgência a um cancro de mama pelo que foi obrigada a cancelar toda a sua actual digressão. Um porta-voz da artista já assegurou, contudo, que a intervenção cirúrgica foi um sucesso e que todos esperam uma rápida recuperação de Etheridge.


"Eu sou uma mulher afortunada por estar nas mãos de tão maravilhosos médicos e pela minha doença ter sido diagnosticada a tempo", disse, por sua vez, Melissa numa declaração que fez tornar pública a partir do hospital. Etheridge, que tinha onze datas a cumprir este mês nos EUA e no Canadá, teve de adiar todas elas, sendo ainda imprevisível o seu regresso aos palcos.


Ehteridge, que vive actualmente em Los Angeles, partilha a custódia dos seus dois filhos com o seu primeiro marido Julie Cypher. O seu mais recente álbum, 'Lucky' foi lançado em Fevereiro passado.


M.A. com agências


Comentário de uma leitora atenta:


Segunda-feira, 11 Outubro - Ana : "partilha a custódia dos seus dois filhos com o seu primeiro MARIDO Julie"??!! Que eu saiba, a Melissa Etheridge sempre se assumiu como lésbica! Julie Cypher (ex-mulher do actor do filme "La Bamba") foi, na verdade, sua companheira e mãe das 2 crianças que elas criaram.


É assim, queridas amigas. Como dizem os nossos confrades alentejanos, é uma ‘cigueira’. Ninguém nos vê, ninguém nos conhece, ninguém sabe que existimos. O pior é que isto se traduz também na lei, nos direitos, na justiça. Uma ‘cigueira’ pegada. Nem a alteração do artigo 13º, que tanto delírio provocou entre as nossas associações ‘de classe’, vem meter prego nesta estopa. Sabem porquê? Porque o que não se vê, o que não existe, também não está contemplado na lei. Neste caso, no nacionalíssimo Código Penal. Mas isso são outros cem e alguém em breve terá a gentileza de nos explicar aqui os quês e os porquês desta perigosa doença da retina legal portuguesa.

5 comentários

Comentar post