Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tangas Lésbicas

lésbicas de tanga na tanga - em busca do seu passo doble perfeito - desfiando as linhas que cosem as tangas - que nos devolvem envolvem - pingas que tingem a linha da tanga - todas as tangas são iguais - mas estas são as melhores - tangas lésbicas

Tangas Lésbicas

lésbicas de tanga na tanga - em busca do seu passo doble perfeito - desfiando as linhas que cosem as tangas - que nos devolvem envolvem - pingas que tingem a linha da tanga - todas as tangas são iguais - mas estas são as melhores - tangas lésbicas

Macacas japonesas, já!

O naturalista inglês Charles Darwin, autor de um dos livros seminais da humanidade, A Origem das Espécies, publicado em 1859, argumentava que a reprodução de um ser vivo em outro, crescendo e se multiplicando milhares de vezes, ocasiona mudanças, tanto em animais quanto em plantas.


Era a propalada Teoria da Evolução entrando em campo, onde ainda bate bola até hoje.


O macaco foi um dos animais mais estudados por Darwin. Concluiu que nós, humanos, dele descendemos, o que muita gente ainda não aceita, nem no sul dos Estados Unidos ou no norte do Brasil.


Entre mil outras coisas, Darwin argumentava que as macacas, por serem fêmeas, eram recatadas, acoplavam-se para reproduzir raramente e escolhiam seus parceiros amorosos de acordo com a melhor propagação genética possível, ao passo que os macacos, como bons machões, eram promíscuos e disputavam no peito, na raça e na valentia suas conquistas.


Contrariando um bordão popular no Brasil dos anos 70, os macacos estavam e estão totalmente por fora. Após anos de estudo nas selvas orientais, o dr. Paul Vasey, da Universidade de Lethbridge, no Canadá, chegou à conclusão científica de que o bissexualismo é comum entre as macacas japonesas, que, além do mais, vivem competindo com o macho da espécie pelos favores sexuais de outras macacas.


O Dr. Vasey faz, no entanto, a ressalva de que o lesbianismo entre as macacas japonesas é uma forma, pouco subtil, é verdade, de atrair seus desinteressados parceiros amorosos.


Mais uma afronta a Darwin: o cientista canadense afirma que o homossexualismo é praticado em pelo menos 300 tipos de invertebrados, o que não era nem considerado, quanto mais explicado por Darwin.


(Ivan Lessa – Jornalista brasileiro radicado em Londres)


Onde é que andam o raio destas macacas japonesas que a gente não as vê em lado nenhum?

4 comentários

Comentar post